Trilha da Praia Brava, São Sebastião, São Paulo: Como chegar nessa praia deserta?

Por conta da pandemia do COVID-19 ficamos muito tempo sem viajar, pegar a estrada, fazer trilhas e conhecer novos lugares. Com a flexibilização da quarentena em São Paulo e tomando todos os cuidados necessário, decidimos retomar nossas viagens visitando uma praia deserta no Litoral Norte de São Paulo, a Praia Brava.


Será que é possível retomar suas viagens durante a pandemia? Confira as dicas aqui.


Como chegar


Localizada entre as praias de Boiçucanga e Maresias, existe uma praia pouco conhecida que faz parte do Parque Estadual da Serra do Mar. Saindo de São Paulo, demoramos aproximadamente 2 horas e 40 minutos (sem trânsito) para chegarmos a Praia Brava, que fica localizada no início da subida da serra de Maresias. Ao lado direito da rodovia Rio-Santos, é possível ver nitidamente a placa indicando uma pequena entrada para uma rua não pavimentada que te levará até a entra da trilha para a Praia Brava. Ao entrar nessa rua, siga em frente, você encontrará uma subida íngreme e ao fim dela terá um estacionamento ao lado esquerdo, com diária de R$30,00 (Setembro-2020).


Outra forma de chegar na Praia Brava para aqueles que não quiserem fazer a trilha, é pegar um dos barquinhos de pescadores que saem do lado esquerdo da Praia de Boiçucanga. Essa é uma forma mais fácil e de se chegar a praia, porém é necessário ficar sempre atento com as alterações da maré. O mais importante é avisar para quem decidir ir de barco de que os barquinhos não te deixam na areia da praia e sim no mar, onde você deve ir nadando para chegar até a praia. Portanto, se você decidir essa forma de visitar a praia, vá preparado sem equipamentos eletrônicos ou com proteção aquática.


A trilha


Mesmo que a muito tempo sem fazer trilha, nós achamos que o percurso é tranquilo, sendo o maior desafio a entrada da trilha onde você encontrará grandes subidas íngremes. Passando essa primeira etapa da trilha, que dura entre 5/10 minutos do percurso todo o restante é bem tranquilo. Grande parte da trilha é fechada pela Mata Atlântica, o que deixa todo o percurso fresco e agradável mesmo em dias de grande calor. A trilha tem duração de 50/60 minutos, tendo dois locais de parada "obrigatória" sendo o 1º deles o Mirante da Praia de Boiçucanga e o 2º o Mirante da Praia Brava.



Para realizar a trilha não é necessário o uso de tênis, mas é sempre a opção mais segura e a que indicamos, além disso é super importante levar água, alimentos fresco e repelente para a trilha. Porém não se preocupe se você esquecer da água, no meio da trilha existe um pequeno comerciante local que vende bebidas. Além disso, também não se preocupem em se perder durante a caminhada, toda a trilha é bem sinalizada com placas que indicam as direções e também com conteúdos interessantes sobre a fauna e flora do local.


OBS: Quando fomos conhecer a Praia Brava, a trilha havia sido reformada pelo governo o que deixou a trilha super tranquila e segura em todas as partes.


Para onde viajar após a pandemia? 10 destinos nacionais!


A praia


Toda "dificuldade" de acesso, devido a trilha fazem com que a Praia Brava seja um dos locais mais bem preservados do Litoral Norte. Com areia fina e fofa, mar agitado (bom para praticar Surf) a praia esconde uma beleza surreal, contando com um pequeno riacho de água doce e uma pequena cachoeira logo na entrada da praia. Assim como falamos anteriormente, a Praia Brava é um local sem infraestrutura, não possui nenhum tipo de comercio e banheiros, então não se esqueçam de levar seus mantimentos.


Volta do turismo regional e o medo dos locais: já posso viajar, 2020?


Dica de mantimentos Largados:

  • Água

  • Água de coco

  • Frutas: mexerica, banana e maça

  • Sanduba completo: pão, requeijão, queijo (a gosto), salada e tomate

  • Sobremesa: bolinho de banana

  • Protetor solar + bronze

  • Repelente

Na Praia Brava não é permitido por lei:

  • Caçar

  • Acampar

  • Pescar

  • Caixas de som

  • Churrasco

  • Bebidas alcoólicas

  • Fogueiras

  • Descarte de lixos


A Serra do Mar


A formação da Serra do Mar ocorreu em conjunto com a Serra da Mantiqueira há milhões de anos atrás. As duas podem ser consideradas montanhas irmãs tendo sido conectadas no passado. Por isso as semelhanças entre a fauna e flora. A Serra do Mar é uma das maiores cadeias de montanhas do leste brasileiro. Apresenta padrões climáticos variados, com diversos ambientes, diferentes tipos de florestas até campos de altitude.


Na Mata Atlântica é considera uma das florestas tropicais mais ameaçadas. Este bioma possui uma grande diversidade de animais, cerca de 270 espécies de mamíferos, 930 de aves, 300 de répteis, 630 de anfíbios e 350 de peixes. Existe também uma grande variedade de serpentes como a falsa-coral. Sobre os mamíferos podemos exemplificar com as onças, bichos-preguiça, antas e capivaras.


Um animal que se destaca na trilha até a praia é o Macuco. Na trilha é possível ouvir e até mesmo encontrar essa ave ameaça pelo desmatamento. Essa espécie habita o chão da floresta e pode chegar a medir 50cm.


Em nosso percurso encontramos diversas aves e uma grande aranha.


Turismo Sustentável: o que é + 8 dicas para praticar!


Você sabe o papel de um Parque Estadual?


O papel de um Parque Estadual é preservar a fauna e flora nativas, as espécies ameaçadas, os recursos hídricos, as formações geológicas, cultura e valores arqueológicos. Também tem permissões para pesquisas científicas, educação ambiental e turismo ecológico. O Parque Estadual da Serra do Mar possui 332.000 hectares e possui 10 núcleos administrativos.


Studios Kuta - Acomodação sustentável em Camburi!

Reflexões do turismo sustentável: comprar souvenirs é realmente responsável?





  • White Facebook Icon
  • Branca ícone do YouTube
  • White Instagram Icon
  • Playlist Largados
LargadosNoMundao_logo_RGB_branco.png